Faltam 9 dias: Sonic, The Hedgehog – De porco-espinho a ouriço

Meu primeiro video game foi um Mega Drive que acompanhava o cartucho Sonic 2. Eu já tinha tido contato com outros consoles antes, incluindo o Atari, Master System, Nintendinho e Super Nintendo, sempre na casa de amigos ou parentes, mas chegar com minha mãe das Pernambucanas com o aparelho embaixo do braço e ligar na televisão CCE de 14 polegadas foi uma baita emoção.

caixa_mega

Assim, não teve jeito, Sonic se tornou um herói de minha infância e foram muitas horas e dias passando pelas telas do game até conseguir finalizar a história. Eu ainda não entendia bem de onde tudo aquilo havia surgido e qual era o contexto por trás da criação do ouriço (que na época ainda chamávamos de porco-espinho aqui no Brasil).

Depois fui aprendendo mais sobre Sonic e descobri que sua primeira aparição nos games não foi em Sonic The Hedgehog, como geralmente se pensa, mas sim em uma participação especial no game da SEGA para arcades Rad Mobile (de abril de 1991). Me lembro que em São Paulo, em alguns Playlands, anos depois, ainda havia este arcade, e era possível ver o pequeno boneco de Sonic pendurado no retrovisor.

radmobileSonic

Pouco depois disso, em junho de 1991 chegou Sonic The Hedgehog para o Mega Drive. O lançamento e visual foram meticulosamente planejados pela SEGA nos Estados Unidos e os conceitos de jogabilidade, velocidade e trilha sonora foram elaborados com enorme competência pela SEGA no Japão, com Yuji Naka à frente da programação do game e Masato Nakamura com as trilhas sonoras.

A estratégia era clara: A década de noventa estava começando e a SEGA precisava de um personagem carismático que seria a representação da empresa para o público. Alex Kid não havia cumprido bem esta tarefa e o novo personagem precisava ainda demonstrar toda a capacidade e potência que o hardware do Mega Drive oferecia. Esse foi o caminho escolhido para se tentar disputar um maior fatia do mercado que tinha a Nintendo e Mario, como líderes.

Assim, o game foi lançado e os resultados surpreenderam: Sonic impressionou os especialistas do setor e ajudou a SEGA a mostrar que seu hardware estava sendo bastante bem aproveitado. Apesar de ter uma verba de marketing bastante inferior à da Nintendo, SEGA conseguiu chamar a atenção com campanhas agressivas contra a Nintendo, com foco em velocidade e com um preço US$ 50 inferior ao do Super Nintendo, em um pacote com Sonic The Hedgehog incluído na caixa do console.

Assim, podemos ver Sonic como um case muito bem sucedido e sem grandes acasos em sua concepção. O plano da SEGA de aumentar sua relevância e participação no mercado permitiu a empresa alcançar um market share nos Estados Unidos entre de 55% a 60% do mercado de consoles no país até 1994.

Mas voltando a 1991, o sucesso de Sonic pedia uma sequência e, em 1992 a SEGA lançava Sonic The Hedgehog 2, um dos primeiros lançamentos mundiais da indústria de games.

sonic2

Com trilha sonora também  chefiada por Masato Nakamura, Sonic 2 traz algumas das canções mais belas da série, o que nos faz refletir sobre como é possível traduzir tão bem estes cenários e seus movimentos enquanto o compositor apenas tinha storyboards disponíveis para fazer suas composições.

Isso mesmo. Nada de vídeos ou conceitos mais avançados: Com a necessidade de cumprir prazos e garantir lançamentos, o praxe era a atuação em paralelo. Ainda bem que isso não nos impediu de ter trilhas sonoras como esta, de Chemical Plant Zone.

E o tempo se passava. Meu segundo jogo do personagem foi o clássico Sonic de 1991 e depois vieram Sonic 3 e Sonic & Knuckles, este último que, com sua tecnologia lock-on permitia a expansão dos jogos Sonic 2 e Sonic 3. Me lembro bem de ter passado pelos mais de quatorze níveis necessários para se fechar a história de Sonic 3 & Knuckles, garantindo todas as esmeraldas e também as super esmeraldas.

O replay era sempre uma nova aventura, com possibilidades diferentes de ação utilizando a calda de Tails para avançar por cima dos obstáculos ou os nós dos dedos de Knuckles para escalar paredes.

tails knuckles

E desde esta época, com o fechamento do ciclo clássico da franquia, até hoje, já se passaram mais de 19 anos e 70 milhões de cópias vendidas. O ouriço foi para o CD-ROM com o SEGA CD, chegou ao mundo 3D via Saturn e Dreamcast, inclusive com boa recepção com a franquia Sonic Adventure, e recebeu uma série de spin-offs que incluíram jogos para várias plataformas após a SEGA deixar o ramo de hardware.

Nosso herói emagreceu e passou a ter uma postura mais jovial, talvez em linha com as expectativas do mercado para o século XXI. A ótima fã-arte abaixo, de shiroiwolf, no deviantART ilustra bem esta evolução entre o conceito original da SEGA do Japão, em 1990, a versão final do lançamento de 1991 trabalhada nos EUA e o atual design do ouriço, para a nova geração.

evolution

Hoje, além de estrelar games olímpicos com seu antigo rival Mario, Sonic está prestes a receber um novo game: Sonic: Lost World, que seguindo a linha de Sonic Colors, será exclusivo para um console da Nintendo.

Eu, fã tradicional, me empolguei com os lançamentos recentes como os episódios I e II de Sonic 4 e me diverti bastante em jogar as fases clássicas remodeladas em Sonic Generations.

Talvez você, que chegou até aqui, também seja um destes fãs, que viu o porco-espinho virar ouriço e ainda guarda expectativas de ver a Sonic Team lançando um novo game que possa ser considerado um AAA, não pelo mercado, mas sim para você! Lost World está chegando: Vamos torcer!

Compartilhe sua história também em nossa área de comentários.

E a nossa série sobre história dos video games em celebração à BGS continua. Se ainda não viu os demais capítulos, navegue com a gente na contagem regressiva.

20 dias 15 dias 10 dias 5 dias
19 dias 14 dias 9 dias 4 dias
18 dias 13 dias 8 dias 3 dias
17 dias 12 dias 7 dias 2 dias
16 dias 11 dias 6 dias 1 dia

E não se esqueça de nos acompanhar nas redes sociais: FacebookTwitter Alvanista.